quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Inpe prevê mais chuvas no trimestre

(foto: Antônio  Vicelmo)
(foto: Antônio  Vicelmo)
Fortaleza. As chuvas que têm caído no Estado do Ceará nos últimos dias têm deixado agricultores das regiões do Centro-Sul e Cariri animados. No entanto, de acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a previsão para os próximos três meses (novembro, dezembro e janeiro) é de que as precipitações vão ficar na categoria de normal e abaixo da normal climatológica, ou seja, entre 100 e 200 milímetros, que é a média histórica.

De acordo com a meteorologista do Cptec, Priscila Farias, o fenômeno que contribui para essa perspectiva é a La Niña, no Pacífico Equatorial. "Nesse período as chuvas serão bem distribuídas em todo o Estado". Ela ainda informou que a temperatura vai variar entre 34 e 36.

Com relação às chuvas recentes, o meteorologista, também do Cptec, José Felipe Farias, explicou que são pancadas ocasionadas pela alta temperatura e transporte de umidade. "O calor e a umidade causaram chuva, mais no interior. Os ventos do leste acabam trazendo a umidade do oceano para o continente", disse ele.

Próximos dias
Além disso, ele também informou que uma frente fria do sul do País avançou e fez um corredor de umidade pelo Atlântico e canalizou pelo continente, ocasionando as precipitações.

Ainda segundo Felipe, devido à Zona de Convergência de Umidade (ZCOU), podem existir pancadas de chuvas nos próximos dois dias. Para Priscila, essas precipitações são uma "anomalia positiva", porque está chovendo mais do que a média histórica.

Segundo dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), nas próximas 24 horas as regiões cearenses ficarão com céu parcialmente nublado no decorrer do período. Para as próximas 48 e 72 horas, a expectativa é de céu parcialmente nublado em todas as regiões cearenses. Há possibilidade de pancadas de chuva na região Sul do Estado. Mais uma vez, a região do Cariri amanheceu debaixo de chuvas.

A maior precipitação foi registrada no Município de Penaforte, no limite com o Estado de Pernambuco, 87 milímetros; Brejo Santo, 75mm; Barro, 71mm; Mauriti, 69mm; e em Milagres, 59mm.

Nos outros Municípios, o índice pluviométrico foi abaixo de 50mm. Em Crato, por exemplo, só foram registrados 20mm na manhã de ontem, o que obrigou a população a reativar o velho guarda-chuva.

O tempo se apresenta promissor. A encosta da Serra do Araripe está coberta de névoa o que, segundo os agricultores, é sinal de mais chuva. O agricultor João Mariano diz que, quando a serra está "fumando", isto é, coberta de névoa, é chuva na certa. Com as precipitações de 71mm que caíram no Município de Barro hoje, sobe para quase 300mm o volume de chuvas em menos de uma semana.

Esparsas
Já na terça-feira, a maior chuva foi registrada em Brejo Santo, 167 milímetros. De acordo com informações da Polícia Militar, não houve nenhuma ocorrência grave. A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos informa que são chuvas esparsas que variam de intensidade de um Município para o outro. Em Crato, por exemplo, a precipitação foi de 20mm.

Consequências
A tromba d´água de 244mm que desabou no Município de Barro na madrugada de sábado encheu açudes e causou uma morte. O corpo do agropecuarista Raimundo Nivan Nunes, de 50 anos, foi localizado no Açude Prazeres, a 10 quilômetros do local onde ele foi arrastado pelas águas. Na manhã de sábado, quando tentava fazer a travessia de alguns animais entre uma margem e outra da Barragem de Pilões, Raimundo foi surpreendido pela enchente do riacho.

Além dele, um funcionário que o ajudava, conhecido apenas por Cícero, foi arrastado pela força das águas. O vaqueiro foi jogado para perto da margem do riacho e conseguiu sair do manancial apenas com escoriações pelo corpo. Ao notar a ausência do patrão, Cícero solicitou ajuda a outros moradores da propriedade e deu início às buscas de salvamento. Não tardou para a notícia se espalhar e dezenas de pessoas foram ao local auxiliar nas buscas. Uma equipe do Corpo de Bombeiros de Juazeiro do Norte foi acionada, mas o trabalho só foi iniciado no domingo sem êxito.

O inverno no Cariri só começa na segunda quinzena de janeiro. No entanto, são normais chuvas nos meses de outubro, novembro e dezembro resultantes de frentes frias procedentes do Sul da Bahia.

Tábua de chuvas
Penaforte, 87mm;

Brejo Santo, 75mm;

Barro, 71.5mm;

Mauriti, 69mm;

Milagres, 59mm;

Cariús, 50mm;

Assaré, 44.9mm;

Aurora, 34mm;

Caririaçu, 28mm;

Altaneira, 26.6mm.

Fonte: Funceme

MAIS INFORMAÇÕES
Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe)/ Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec)
(12) 3186.8400

EVELANE BARROS
SUBEDITORA DO REGIONAL

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse sua opinião, ela é muito importante!

:a :b :c :d :e :f :g :h :i :j :k :l :m :n :o :p